Cidades Louveira Sem categoria

Prefeitura de Louveira ajusta suas contas para superar a crise econômica

Em meio a uma das maiores crises econômicas do país, a Prefeitura de Louveira faz a sua parte. Está realizando diversos ajustes para manter os altos índices de investimento dos últimos anos, mesmo com a crescente queda de arrecadação registrada, em virtude do panorama nacional que reflete diretamente nos estados e municípios, atingindo as instituições públicas.

Embora a cidade tenha registrado, no último ano, crescimento superior a de outros municípios que compõem o Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), há especial atenção para a manutenção do equilíbrio fiscal. Nesse sentido, a Prefeitura trabalha na redução de suas despesas de custeio e pessoal, com a revisão de seus contratos administrativos, cortes de horas extras, racionalização de seus cargos comissionados, além de outras medidas que irão contribuir para que a cidade continue investindo para oferecer serviços públicos de qualidade, que estejam em conformidade com os anseios da população.

Num diagnóstico traçado pelo economista Geraldo D’andrea em que se avalia o comportamento das receitas e despesas de Louveira e sua participação frente ao Aglomerado Urbano de Jundiaí, verifica-se por exemplo, que em 2015 a arrecadação do Aglomerado caiu 2,7% com relação à 2014, enquanto se considerarmos apenas o município de Louveira, a arrecadação cresceu 1,7%, já desconsiderada a inflação. Apesar do crescimento, está bem abaixo do crescimento ideal para a manutenção de todos os serviços oferecidos pela municipalidade.

O estudo também dá destaque ao volume de investimento realizados pela prefeitura de Louveira nos últimos anos. Trata-se da construção de escolas, postos de saúde, reforma da estação ferroviária, obras de saneamento, dentre outras ações que beneficiaram a vida da população. Enquanto no AUJ houve um recuo de 1,0% nos últimos 5 anos, caindo de R$ 253,3 milhões, em 2010, para R$ 250,7 milhões, em 2015, em Louveira houve avanço de 242,2%, subindo de R$ 49,8 milhões em 2010 para R$ 170,3 milhões em 2015. Esse crescimento fez com que a participação relativa de Louveira, no volume de capital destinado a investimento no AUJ saltasse dos 19,6%, em 2010, para 67,9%, em 2015, colocando a cidade na primeira colocação como o município que mais investiu nos anos de 2014 e 2015, mais até que Jundiaí que possui uma arrecadação muito maior, já desconsiderada a inflação.

Despesas

Por outro lado, devido ao elevado valor investido na cidade e o crescente aumento na oferta de serviços ao cidadão louveirense, a Prefeitura também apresentou um aumento significativo em suas despesas, destacando despesas com pessoal e de custeio. Ao construir novos prédios públicos a Prefeitura assume as despesas dos mesmos, exemplo, quando se constrói uma escola acaba havendo gastos com professores, móveis, limpeza do local, segurança e muitos outros custos indiretos que acabam impactando os gastos públicos.

Segunda maior fonte de despesa para o Município de Louveira, as despesas com pessoal cresceram 4,4% em 2015, passando dos R$ 137,8 milhões em 2014, para R$ 143,9 milhões em 2015, período em que no AUJ houve uma redução de 0,3% nesse tipo de despesa. Hoje, a prefeitura emprega 1.597 funcionários efetivos e 73 funcionários em comissão.

Principal motivo de despesa da Prefeitura, a despesa de custeio abrange todas as contas que permitem à máquina administrativa funcionar adequadamente e oferecer serviços ao cidadão. Entre 2014 e 2015 essa despesa cresceu 2,6 % no aglomerado e 9,8 % em Louveira.

“Diante da crise econômica nacional que acaba afetando Louveira, nosso grande desafio é o de continuar trabalhando para garantir a manutenção de nossa capacidade de investimento, sem a perda da qualidade do serviço prestado à população. Hoje há uma tendência nos órgãos públicos de redução das receitas e aumento na curva das despesas, trabalhamos contra essa tendência, com a atração de novas empresas para a cidade e a redução de nossas despesas, em especial, as despesas de custeio”, afirma o prefeito Junior Finamore, após análise do diagnóstico.