Jundiaí

Museu da Energia restaura 3600 peças do seu acervo

Aprovação em edital do ProAC garante manutenção que deve ser finalizada em julho

O projeto “Documentação e Transferência do Acervo Museológico da Fundação Energia e Saneamento” foi uma das 11 iniciativas premiadas através do Edital de dezembro de 2019, “Modernização de Acervos de Museus e Arquivos” uma iniciativa do Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. “O Museu da Energia segue a sua missão que é de preservar, pesquisar e divulgar o patrimônio do setor de energia e saneamento, e com esse edital vamos inventariar, higienizar e organizar mais de 3600 peças do nosso acervo”, conta Andressa Romualdo, Coordenadora do Acervo da Fundação.

As primeiras fases do projeto, já realizadas, integraram a transferência de parte do acervo de objetos, antes alocada em imóvel da instituição em Rio Claro, para a sede do acervo geral da Fundação, em Jundiaí, com a adequação e reforma de espaço para uma nova reserva técnica.

Em fevereiro, o diagnóstico do estado de conservação das peças foi realizado por uma especialista em conservação e restauro de obras de arte em metal, para definição das intervenções que serão necessárias realizar. Agora, o acervo será higienizado, inventariado e acondicionado de maneira adequada por um time de especialistas.

A coleção reúne uma variedade de itens — desde modelos de luminárias a gás do final dos 1800, a lâmpadas utilizadas na iluminação pública de cidades paulistas no início do século 20; variados eletrodomésticos, incluindo alguns dos primeiros aparelhos importados ao Brasil, na primeira metade do século 20. O acervo ainda reúne, entre outros, equipamentos e ferramentas usados em sistemas de energia, como um escafandro, da década de 30, usado na manutenção subaquática de usinas elevatórias no Rio Pinheiros.

Com a finalização de todas as fases, a Fundação tem como objetivo criar uma diretriz para a construção da Política de Acervo Museológico, que possa garantir futuramente a conservação adequada dos objetos, principalmente os que são usados nas exposições do Museu da Energia. “Após a finalização do tratamento técnico desse acervo, pretendemos      proporcionar a integração entre o acervo arquivístico, bibliográfico e museológico, material que hoje já pode ser acessado gratuitamente por pesquisadores através do nosso site, de forma a democratizar o acesso ao nosso acervo histórico e à informação”, completa Andressa.

Por conta da pandemia do COVID-19 a previsão da Fundação Energia e Saneamento é que os trabalhos sejam entregues em agosto de 2021.

Peças da Fundação Energia e Saneamento que estão sendo tratadas

– Modelos de luminária a gás do final de 1800

– Lâmpadas utilizadas na iluminação pública de cidades paulistas no início do século XX

– Primeiros eletrodomésticos importados para o Brasil, da metade do século XX

– Ferramentas e equipamentos do sistema de energia de 1930.

Sobre a Fundação Energia e Saneamento

Desde 1998, a Fundação Energia e Saneamento atua em várias regiões do Estado de São Paulo por meio das unidades do Museu da Energia (São Paulo, Itu e Salesópolis), realizando ações culturais e educativas que reforçam conceitos de cidadania e incentivam o uso responsável de recursos naturais, trabalhando nos eixos de história, ciência, tecnologia e meio ambiente, além de subsidiar pesquisas sobre energia e saneamento. O acervo da Fundação é composto por mais de 1.600 metros lineares de documentos técnicos e gerenciais, 260 mil documentos fotográficos, cerca de 3.500 objetos museológicos, 50 mil títulos na biblioteca, além de documentos cartográficos, audiovisuais e sonoros, reunidos a partir de meados do século XIX.

Os conteúdos dos artigos publicados são de inteira responsabilidade do(s) autor(es), não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo ou do conselho editorial do Jundiai365.